Taíssa Vitória usou elementos da vida do marinheiro para o desenho

Mar, navio, âncora e a história de luta de João Cândido serviram de base para a aluna Taíssa Vitória de Jesus Souza, do 8º ano da Unidade Integrada de 1º grau, em Coelho da Rocha, que foi a vencedora do concurso para inspirar o logotipo do museu dedicado ao marinheiro.

O resultado saiu nesta terça-feira (16) e ela, que teve 1.096 votos, concorreu com mais dois alunos da rede municipal de São João de Meriti: Vitória da Silva Correira (808 votos), do 9º ano da Escola Municipal Francisco Agostinho da Costa, em Engenheiro Belford, e Gabriel Gonçalves Flores (504 votos), também do 9º ano do Ciep 132 São João Bosco, em Éden.

“Não achei que fosse ganhar. O desenho da Vitória estava muito bonito e pensei que ela ganharia. Hoje, quando cheguei na escola, recebi muitos abraços e meus amigos me avisaram que eu tinha ganhado. Não acreditei! Mas se tivesse perdido, seria uma chance de aprendizado. Estou muito feliz com o primeiro lugar e parabenizo meus colegas que também fizeram desenhos lindos”, disse Taíssa, nervosa e emocionada.

Para Frei Tatá, superintendente de Promoção de Políticas de Igualdade Racial, foi importante a parceria com a Educação: “É uma alegria muito grande ver os jovens participando de algo tão importante para São João. Conseguimos concluir mais uma etapa, mas ainda temos muito trabalho a fazer”.

Segundo o secretário de Educação, Bruno Correia, a participação dos alunos na construção do museu é fruto de uma força-tarefa.

“Desde o início do governo Dr. João a gente vem fazendo um resgaste da história de João Cândido. Já participamos de um concurso de redação no Festival Literário da Diáspora Africana (Flidam), que movimentou nossa rede de ensino, e um livro vai ser publicado com esses textos dos alunos”, lembrou ele: “Parabenizo toda a equipe de Direitos Humanos e os três jovens que chegaram na final”.

Biblioteca do museu foi inaugurada

O Museu Marinheiro João Cândido agora tem uma biblioteca. O espaço foi criado para manter viva a memória do Almirante Negro que comandou a Revolta da Chibata e conseguiu acabar com os castigos corporais na Marinha.

“Nós somos a marca da resistência. João Cândido lutou contra injustiças e nós, negros, temos essa força”, afirmou o secretário de Cultura, Lazer, Direitos Humanos e Igualdade Racial, Marcelo Rosa: “Desde o início da gestão, Frei Tatá falou sobre o museu e abraçamos a causa. Sabemos que há potencial e vamos contar a história desse herói que morou na nossa cidade”.

A biblioteca leva o nome da filha do marinheiro: Zeelândia Cândido, que morreu em 2006 e viveu em São João de Meriti. A família lembra com orgulho de seus antepassados.

“Fico satisfeita em ver mais uma etapa concluída e espero que a história do meu avô se perpetue. É emocionante ver o museu acontecendo”, celebrou a neta do marinheiro, Sônia Maria Cândido.

A premiação contou com a participação de representantes do governo municipal, diretores escolares, pais e sociedade civil.


Fotos: Beto Franzen


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>